Vega-Sicilia, Um Jantar ÚNICO

SnapseedNo dia 09 de maio, participamos de um jantar entre amigos no renomado restaurante Mr.Lam, no Rio de Janeiro, na companhia de 8 garrafas do vinho ícone da Espanha.

Todos foram muito bem recepcionados pela elegância e finesse do gerente Eder Heck. O serviço dos vinhos estava sob o comando do sommelier Marcelo Pereira, que conduziu de forma impecável, o que não poderia ser diferente, dado a sua excelência no serviço.

Antes dos atores principais entrarem em cena, fomos agraciados por dois excelentes vinhos: o espumante Raventós i Blanc Textures de Pedra Blanc des Negres 2011 (92 TP) e o vinho Grego Oenodea White.

O primeiro é possível encontrar na Decanter, com seus aromas de lírios, maçã vermelha, fruta de caroço (pêssego), um delicado brioche e casca de cítricos. O segundo, um blend com base na uva grega malagouzia, com moscato e sauvignon blanc, está na carta de vinhos da casa. Ótimas pedidas para acompanhar as entradas ou como aperitivo!

Abriram as cortinas com a decolagem do Flight 08-04. A viagem para o passado fez uma escala em 03-02-00 e chegou ao destino final com as garrafas do reserva especial, 2010, elaborado com as safras 91, 94 e 95, o inesquecível 1970 e 1966, com um pé na cova.

“ESTILO CONSISTENTE EM TODAS AS SAFRAS. EQUILÍBRIO DE UM GRANDE BORDEAUX, MAS COMO UMA PEGADA UM POUCO MAIS IBÉRICA.”

O 2008, ainda tímido, bem especiado (mais trabalhado em madeira nova?), framboesa selvagem e corpo menor que o 2004, que tinha cassis, alcaçuz, toque de canela e alcatrão.

O 2003 mostra o calor desta safra com uma fruta mais cozida, uma acidez acentuada (corrigida?) e foi o que menos agradou.

O 2002 e 2000 foram os preferidos no novo milênio. Uma quase imperceptível acidez volátil no 2002 agradava e intensificava a sensação de mentol. O toque balsâmico somado à fruta e rosa vermelha e discreto especiado contribuíam com a complexidade que esse vinho tem a oferecer. O 2000 se mostrou mais jovem que o 2002, com o mentol presente e maior concentração de fruta e especiarias como canela e pimenta do reino branca.

Impossível distinguir os vinhos pelo indicativo de idade. Os 8 anos que separam os 5 vinhos provados não conseguiram sobrepor a personalidade “única” que cada uma destas safras tem.

O Reserva Especial 2010, elaborado com as safras 91, 94 e 95, é o coringa. Agradou todos. É tão minuciosamente trabalhado, mas não tem uma personalidade “única”. Aromas mais confusos, complexos. Requeria um tempo de degustação maior do que tivemos.

O 1970 entrou com força mesmo com os 47 anos de vida. Trufa, mel, café, couro…um caldo literalmente ÚNICO que, com unanimidade, foi o escolhido da noite. Esta garrafa em particular merecia uma matéria completa: afinal, tratava-se da última garrafa adquirida da adega de Pedro Carlos de Bourbon de Orleans e Bragança, vinho servido no jantar oferecido pelo Rei Juan Carlos, restritos aos familiares em honra de S.A.R La Infanta Dona Elena y de Dom Jaime de Marichalar, comemorativo de suas núpcias.

O 1966 estava com o pé na cova para alguns e enterrado para outros. Aromaticamente oxidado, lembrava um Madeira. Na boca ainda apresentava notas de tâmara, ameixa e figo.

Você Sabia?

O brasão dos rótulos do Vega-Sicilia possui as iniciais dos sobrenomes dos proprietários.

Em 1982, a família Alvarez Mezquíriz adquiriu as propriedades da família Hans Newman. Devido a isso, os rótulos engarrafados antes de 1982 possuem as iniciais HN (até safra 1968) e, os que foram rotulados depois de 1982, as iniciais AM. A título de exemplo, a safra 1970 da foto acima só foi rotulada em 1986!! Além disso, é interessante notar que as garrafas rotuladas após 1982 possuem a designação da D.O. Ribera del Duero, que foi criada em 1982.

Após o pouso, já em território Chinês, foi servido o clássico Pato Laqueado e o Filet de Wagyu, que é novidade na casa. De sobremesa, o El Maestro Sierra Jerez Pedro Ximenez, que surpreendeu com sua cor de amontillado e menos denso que o usual, com aromas de café, butterscotch e vegetal (musgo). Cumpriu bem seu papel com o Mahjong de Abacaxi e Uhn Ehggi.

Ficou com fome? Já reservou seu jantar no Mr. Lam? Uma sugestão de harmonização para o Pato Laqueado é o Syrah Porcupine Ridge, que consta na carta de vinhos do restaurante. Com frutas negras maduras, notas apimentadas e sem aquela excessiva baunilha. Depois nos conte o que achou!

Um grande jantar na excelente companhia de bons vinhos, grandes amigos e boa gastronomia.

Em Junho, Bourgogne!

Assista ao vídeo: