Solaia – Um Supertoscano do Sol

O Taça Preta organizou uma degustação vertical do grande ícone supertoscano: o Solaia.

Produzido a partir dos 20 hectares de características especiais de altitude, solo e exposição ao Sol,  surge o Solaia. O nome é derivado da palavra italiana “Sole”, a qual significa Sol.

Com a Cabernet Sauvignon (75%), Sangiovese (20%) e Cabernet Franc (5%) fazendo parte do corte atual, as safras degustadas foram: 2013, 2011, 2009, 2006, 2001, 2000, 1991, 1988 e 1986. Para efeito de comparação um Sassicaia 1986 foi colocado ao lado do seu primo Solaia de mesma idade.

Os preferidos dos participantes foram as safras 2011, 2006, 2009 e 2001. Algumas notas sobre os vinhos:

2013 – Elevada influência de madeira (chocolate, baunilha), taninos M+, acidez M. Precisa de tempo em garrafa para integrar e ganhar mais equilíbrio.

2011 – Muito fresco e inicialmente com um toque medicinal. Notas de amora, alcaçuz, chocolate amargo com final bem longo.

2009 – Bem especiado (canela, alcaçuz, chocolate, café), licor de fruta preta (cassis, amora), tanino M+ e acidez M+.

2006 – Um clássico. Elegante e mineral, com altos níveis de tanino (macios), acidez e corpo. Grande potencial de guarda.

2001 – Muito Gastronômico. Lavanda, canela, bacon, mocha, cedro, balsâmico, taninos finos (giz), acidez M+. Está no auge!

2000 – Um pouco carente de fruta, notas de café e taninos um pouco verdes.

1991 – Terciário já bem presente (couro, pele de salame). Corpo já mais magro e acidez M+.

1988 – Fruta muito madura (geléia), torrefação, coco queimado,  notas de pimentão e balsâmico. Um pouco carente de acidez.

1986 – Figo, ameixa seca, couro, animal, com menos terciários que o 1991.

1986 Sassicaia – Cassis, mentol, pele de salame, gengibre, taninos finos (giz), mostrando menos idade e mais elegância que seu primo de 1986 (Solaia).

 

Você Sabia?

As uvas que faziam parte do corte do lançamento do Solaia era a Cabernet Sauvignon (80%) e Sangiovese (20%)?